UNS VÃO À PRAIA. EU VOU AO MAR. PORQUE SOU DO MAR... O MAR, AOS QUE SÃO DO MAR: ODOYÁ! ODOYÁ!
Aquários de tubarões não inundam os meus pés. Só quero o vômito da minha própria vazante. Porque, sou Roberta Aymar...
TECIDO VIVO!

domingo, 15 de maio de 2011

isso que é um mosaico furta*cor...






*
● nesse mural um ●
● grande mosaico ●
● colorido e grave ●
● mais antigo q ●
...
● essas ruinas q ●
● pontuam o hori ●
● zonte e nos cer ●
● cam foi criado ●
● pra honrar a vida ●

● durante milenios ●
● vem sendo re ●
● feito por infin ●
● daveis gerações ●
● q não querem a ●
● destruição dele ●
● por sentirem q ●
● cessaria a vida ●
● se ele sumisse ●

● por isso repõem ●
● cada pastilha ●
● q se destroi e ●
● fazem outra no ●
● va repondo sem ●
● pre no mesmo lu ●
● gar mas com dife ●
● renças o q foi ●
● tornando ele vivo ●

● e q se altera sempre ●
● nem é feito com as ●
● pedras do começo e ●
● mesmo o desenho foi ●
● se transformando a pon ●
● to de onde havia um ti ●
● gre dormindo no re ●
● fazer agora noutro ●
● lugar é um leopardo ●

● onde havia elefantes ●
● agora uma imensa ar ●
● vore toma seu espaço os ●
● passaros se tornaram ●
● outros o rio alegre e ●
● quase azul agora é um ●
● vasto lago amargurado ●
● onde grandes peixes con ●
● hecidos saltam pras margens ●

● onde oleiros batiam a ar ●
● gila ate ela aceitar a ●
● forma e seguirem as mãos ●
● como o desejo segue as ●
● curvas do corpo amado e ●
● sorve o gozo e seus tremores ●
● pode ser visto um abismo ●
● entre margens de pedra es ●
● corregadia e o sem limites ●

● num dos angulos a escuri ●
● dão duma floresta q ●
● fazia sentir odores de ●
● folhas podres lama de terra ●
● viva pululando de tudo ●
● q traga o q se decompõe ●
● q se desdobra e suga des ●
● de luz e agua ate sangue se ●
● transtornou num claro deserto ●

● num pedaço de cidade se ●
● via homens e mulheres dançando ●
● e rindo crianças cada uma com ●
● suas brincadeiras e correrias ●
● assim a cidade flamejava ●
● como se nela houvesse luz ●
● propria e isso se tornou lugar ●
● de punição escuro e sem vigor ●
● todos escravizados e cegos ●

● mas inda é a vida q ●
● nele se exalta e vibra ●
● porq ela é mesmo o ●
● velho mosaico em sua ●
● indiferença e pura alegria ●
● mudanças sem fim e o ●
● velho espirito se man ●
● teve na luta de ●
● cultivar todas as forças ●
 
*Alberto Lins Caldas*
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário