UNS VÃO À PRAIA. EU VOU AO MAR. PORQUE SOU DO MAR... O MAR, AOS QUE SÃO DO MAR: ODOYÁ! ODOYÁ!
Aquários de tubarões não inundam os meus pés. Só quero o vômito da minha própria vazante. Porque, sou Roberta Aymar...
TECIDO VIVO!

terça-feira, 24 de maio de 2011

"a morte nunca é o fim de uma história"


["a morte nunca é o fim de uma história"]

(talvez, uma crônica)


Nenhum comentário:

Postar um comentário