UNS VÃO À PRAIA. EU VOU AO MAR. PORQUE SOU DO MAR... O MAR, AOS QUE SÃO DO MAR: ODOYÁ! ODOYÁ!
Aquários de tubarões não inundam os meus pés. Só quero o vômito da minha própria vazante. Porque, sou Roberta Aymar...
TECIDO VIVO!

quinta-feira, 19 de maio de 2011

isso qu'entra-me e banha-me oceana*mente...



isso qu'entra-me e banha-me  
o(SS)eana*mente
com
o
AR'o'mar
de
sangue
das
palavras
ditas
da 
boca
da
mão
do
poeta




*
● nesse mar de sangue abro bem a ●
● boca e sinto o ●
● sal a areia o des●
● espero dos olhos turvos pelo ●
● sangue ●
● bato me debato nado e a faca ●
● fica enterrada e rasga e é ●
● meu sangue q agora engulo q ●
● me sufoca enquanto outras ●
● facas rasgam mais e mais ●
● fundo e rindo abro a boca e ●
● deixo o oceano entrar ●
● azul e verde de mar e verme ●
● lho rubro de vida q se esvai ●
 
*Alberto Lins Caldas*


Nenhum comentário:

Postar um comentário