UNS VÃO À PRAIA. EU VOU AO MAR. PORQUE SOU DO MAR... O MAR, AOS QUE SÃO DO MAR: ODOYÁ! ODOYÁ!
Aquários de tubarões não inundam os meus pés. Só quero o vômito da minha própria vazante. Porque, sou Roberta Aymar...
TECIDO VIVO!

quarta-feira, 4 de maio de 2011

isso que os poetas dizem, eu... (...)






*
● veja bem ●
● é possivel q haja inverno esse ano mas os ●
● pastos tão estereis os rios deixam ver as ●
● vertebras polidas pela agua animais aqui ja ●
...
● não existem ha muito tempo com nada pra ●
● comer ou beber aquelas nuvens não são de ●
● chuva mas florestas esturricadas agora em ●
● chamas e esses poucos animais em fuga não ●
● irão longe comendo uns aos outros e nos a ●
● eles e no circulo disso temos q nos devorar ●
● veja bem ●
● nada ta fechado jamais no absoluto ou ao ●
● fim mas devemos reconhecer o q nos cerca ●
● antes q nossa carne perca a luta por mais e ●
● sempre mais isso q nos faz persistir mesmo ●
● no pleno adverso essa loucura faminta q é ●
● viver jamais pra se reproduzir ou trabalhar ●
● muito menos pra sobreviver ou por qualquer ●
● outra mentira mas simples e puramente pra ●
● continuar devorando por isso compreenda ●
*Alberto Lins Caldas*
 
 

3 comentários:

  1. !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!ad in...finitum, poetas!...!...

    ResponderExcluir
  2. Que pena que grande parte (a maior parte?)dos seres humanos continuem a não ver...

    ResponderExcluir
  3. "Não ver" é um "modo de ver"... um tosco(!)-(?) "modo de ver" ou, talvez, uma eficaz forma de sobrevivência nesse medonho "Zeitgeist" da pedra sem selva...

    ResponderExcluir