UNS VÃO À PRAIA. EU VOU AO MAR. PORQUE SOU DO MAR... O MAR, AOS QUE SÃO DO MAR: ODOYÁ! ODOYÁ!
Aquários de tubarões não inundam os meus pés. Só quero o vômito da minha própria vazante. Porque, sou Roberta Aymar...
TECIDO VIVO!

domingo, 22 de maio de 2011

isso que parece ser até sempre... (II)


isso que parece ser até sempre... 
do que sempre até sempre permanece
 porque 
sempre*até sempre*sempre 
me quer 

II






Nenhum comentário:

Postar um comentário