UNS VÃO À PRAIA. EU VOU AO MAR. PORQUE SOU DO MAR... O MAR, AOS QUE SÃO DO MAR: ODOYÁ! ODOYÁ!
Aquários de tubarões não inundam os meus pés. Só quero o vômito da minha própria vazante. Porque, sou Roberta Aymar...
TECIDO VIVO!

domingo, 22 de maio de 2011

!psssssssssssssssssiiiiiiiiiii....lênciooooooooooooo!

!psssssssssssssssssiiiiiiiiiii....
lênciooooooooooooooooooo!

!a saudade está!

Hoje é 
daqueles dias que amanheço ensopada de saudade...
saudade de ontem-uma-vez,
saudade de hoje-talvez,
saudade do pretérito-no-futuro [in]'certo.




2 comentários:

  1. Ai que saudade dos meus ex-alunos de Arquitetura...
    Do meu filho que não dormiu ontem em casa...
    Das minhas aulas de História das Artes...
    Do "Doktor" que desistiu de me curar de mim...
    Da coragem que eu não tenho de reler o livro certo (errado)... por saber que é o certo (errado) para mim que gosto de pontes e do ar.

    ResponderExcluir
  2. Ai que saudade dos meus ex-alunos de Arquitetura...
    Do meu filho que não dormiu ontem em casa...
    Das minhas aulas de História das Artes...
    Do "Doktor" que desistiu de me curar de mim...
    Da coragem que eu não tenho de reler o livro certo (errado)... por saber que é o errado (certo) para mim que gosto de pontes e do ar.

    ResponderExcluir