UNS VÃO À PRAIA. EU VOU AO MAR. PORQUE SOU DO MAR... O MAR, AOS QUE SÃO DO MAR: ODOYÁ! ODOYÁ!
Aquários de tubarões não inundam os meus pés. Só quero o vômito da minha própria vazante. Porque, sou Roberta Aymar...
TECIDO VIVO!

terça-feira, 29 de março de 2011

Ave Sangria




*
● seixos assim bem redondos e ●
● pesados ●
● gostosos de ●
● tocar ●
...● como se fossem maçãs ver ●
● melhas ●
● ou peras muito amar ●
● elas ●
● dessas ●
● q inda não se devem morder ●
● porq ●
● não conseguiram chegar ao ●
● ponto exato da mordida mas ●
● esses seixos são ●
● perfeitos e ●
● pesados assim ●
● e mesmo assim ●
● menos pesados q ●
● a vida menos pesados q ●
● cada segundo dessa vida q ●
● sei q é sublime mas ●
● em carne viva não se ●
● consegue ●
● viver ●
● viver por tempo ●
● demais ●
● viver se torna uma ●
● coisa dolorosa ●
● apenas dolorosa ●
● e essa agua quase fria ●
● entre as ●
● pernas ●
● empapando o tecido fino ●
● da saia ●
● subindo pelas coxas ●
● minha querida amante do ●
● louco de elsinore ●
● eis o sentido de tudo e ●
● a cada passo como se ●
● torna fina a ●
● pelicula entre as
● horas e as ●
● ondas ●
● vão se avolumando e ●
● essa felicidade é ●
● o q ●
● sempre esperei ●
● agora q a ●
● agua toca minha ●
● boca e ●
● posso sentir o ●
● cheiro de ●
● folhas mortas ●
● e ●
*
Alberto Lins Caldas 

Nenhum comentário:

Postar um comentário