UNS VÃO À PRAIA. EU VOU AO MAR. PORQUE SOU DO MAR... O MAR, AOS QUE SÃO DO MAR: ODOYÁ! ODOYÁ!
Aquários de tubarões não inundam os meus pés. Só quero o vômito da minha própria vazante. Porque, sou Roberta Aymar...
TECIDO VIVO!

sábado, 12 de março de 2011

No Mar Inquieto Morro e Vivo



*
*
● no mar inquieto ●
● ● ha tempestades ●

...● entre as ondas ●
● ● espero a vaga ●

● aguardo a vez ●
● ● fecho os olhos ●

● devoro a alma ●
● ● mastigo os dedos ●

● mas entre as aguas ●
● ● chega a hora ●

● nessa fenda ●
● ● crio desejos ●

● invento mundos ●
● ● aprendo amores ●

● perverto gozo ●
● ● adoro doces ●

● me lambuzo ●
● ● penso e danço ●

● morro e vivo ●
● ● esse instante ●
*
(Por Alberto Lins Caldas) 
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário