UNS VÃO À PRAIA. EU VOU AO MAR. PORQUE SOU DO MAR... O MAR, AOS QUE SÃO DO MAR: ODOYÁ! ODOYÁ!
Aquários de tubarões não inundam os meus pés. Só quero o vômito da minha própria vazante. Porque, sou Roberta Aymar...
TECIDO VIVO!

sábado, 2 de abril de 2011

se o esquecimento é também e ainda possível!




*
*
*****
*
*
● as horas ●
● ? ●
●quantas horas é ●
● preciso ●
● a torrente sempre ●
...● violenta demais e as ●
● pontes e as ●
● torres e as ●
● chamines de cera ●
● mica ●
● e esses corvos q se ●
● reunem como se ●
● pudessem mudar o ●
● rumo ●
● ate mesmo dum ●
● inseto ●
● q cava desde dentro da ●
● carne ●
● se despregando do osso e ●
● sai com alegria noutro ●
● universo ●
● a pele ●
● o sol o vento a neve a ●
● exata hora dos campos e ●
● rindo se atirasse nas ●
● aguas ●
● sabendo q é apenas um ●
● segundo ●
● e nada mais ●
● principalmente porq ●
● nada mais é ●
● possivel dizer e ●
● nada havia a dizer ●
● nem eu a ele nem ●
● ele ●
● a mim ●
● calados em todtnauberger ●
● nem a ●
● esperança duma ●
● palavra ●
● mesmo depois e ●
● depois ●
● apenas vidas tão ●
● distantes ●
● essa vida ●
● aquela vida ●
● esses corpos ●
● aqueles corpos ●
● e se vidas iguais ●
● aquela podem fazer tudo ●
● tudo ●
● ta perdido ●
● tudo sempre teve perdido e ●
● nada pode ser ●
● feito nada deve ●
● ser feito ●
● apenas a agua em ●
● torrente pode lavar e ●
● fazer esquecer ●
● se esquecimento é ●
● tambem e ainda ●
● possivel ●
*Alberto Lins Caldas*
*** 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário