UNS VÃO À PRAIA. EU VOU AO MAR. PORQUE SOU DO MAR... O MAR, AOS QUE SÃO DO MAR: ODOYÁ! ODOYÁ!
Aquários de tubarões não inundam os meus pés. Só quero o vômito da minha própria vazante. Porque, sou Roberta Aymar...
TECIDO VIVO!

quarta-feira, 20 de abril de 2011

essa cidade que é sempre a mesma sendo sempre outra e muitas outras quase sempre...





*
● linear como o mais terrivel ●
● labirinto essa cidade é sempre a ●
● mesma sendo sempre outra e ●
● muitas outras quase sempre ●
...
● essa rua essas arvores essas ●
● janelas esses jardins esses ●
● predios distantes esses odores ●
● sempre os mesmos sendo ●
● sempre outros q parecem ou ●
● são os mesmos e ja não sei ●
● porq ate esse saber muda e ●
● não sei se sei o q penso saber ●
● nem sei se isso é pensar ●

● ando vago fujo viajo e ter ●
● mino aqui sempre outro sendo ●
● o mesmo corpo o mesmo ●
● nome sem ser nada disso ●

● essa carne esse desejo re ●
● corda outras carnes outros ●
● desejos mas não são os ●
● mesmos mas não podem ●
● ser outros como o tempo ●
● tudo passando sem passar ●
● nem essas palavras q não ●
● são minhas nem podem ser ●
● ?mas se não forem de quem é ●
*
*Alberto Lins Caldas* 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário