UNS VÃO À PRAIA. EU VOU AO MAR. PORQUE SOU DO MAR... O MAR, AOS QUE SÃO DO MAR: ODOYÁ! ODOYÁ!
Aquários de tubarões não inundam os meus pés. Só quero o vômito da minha própria vazante. Porque, sou Roberta Aymar...
TECIDO VIVO!

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Must I write? Ask yourself in the quietest hour of your night!






This before all: ask yourself in the quietest hour of your night: must I write?
Dig down into yourself for a deep answer. And if this should be in the affirmative, if you may meet this solemn question with a strong and simple, I must, then build your life according to this necessity.

*Hainer Maria Rilke*










segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Indo ao mar... INDOmáv'el vou... voo... voo!










A Ostra e o Vento

 [Chico Buarque]

Vai a onda
Vem a nuvem
Cai a folha
Quem sopra meu nome?
Raia o dia
Tem sereno
O pai ralha
Meu bem trouxe um perfume?
O meu amigo secreto
Põe meu coração a balançar
Pai, o tempo está virando
Pai, me deixa respirar o vento
Vento
Nem um barco
Nem um peixe
Cai a tarde
Quem sabe meu nome?
Paisagem
Ninguém se mexe
Paira o sol
Meu bem terá ciúme?
Meu namorado erradio
Sai de déu em déu a me buscar
Pai, olha que o tempo vira
Pai, me deixa caminhar ao vento
Vento
Se o mar tem o coral
A estrela, o caramujo
Um galeão no lodo
Jogada num quintal
Enxuta, a concha guarda o mar
No seu estojo
Ai, meu amor para sempre
Nunca me conceda descansar
Pai, o tempo vai virar
Meu pai, deixa me carregar o vento
Vento
Vento, vento





quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Y al principio eran perfectos...





!son iguales los defectos








"Con la dosis justa de cinismo preguntas 
que harias sin mi
Si ya no vuelves a verme,
Para ser sincero haria lo mismo
Solo que si estoy sin ti lo haria sin esconderme,
Lo haria sin esconderme..."







sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Onde estão as cartas do meu avô para a minha avó?




11.11.11







?oNdeStãoAScartasdomEUaVôp/AminH'Avó?oNdeStãoAScartasdomEUaVôp/AminH'Avó?oNdeStãoAScartasdomEUaVôp/AminH'Avó?oNdeStãoAScartasdomEUaVôp/AminH'Avó?oNdeStãoAScartasdomEUaVôp/AminH'Avó?oNdeStãoAScartasdomEUaVôp/AminH'Avó?oNdeStãoAScartasdomEUaVôp/AminH'Avó?oNdeStãoAScartasdomEUaVôp/AminH'Avó?oNdeStãoAScartasdomEUaVôp/AminH'Avó?oNdeStãoAScartasdomEUaVôp/AminH'Avó?oNdeStãoAScartasdomEUaVôp/AminH'Avó?oNdeStãoAScartasdomEUaVôp/AminH'Avó?oNdeStãoAScartasdomEUaVôp/AminH'Avó?oNdeStãoAScartasdomEUaVôp/AminH'Avó?oNdeStãoAScartasdomEUaVôp/AminH'Avó?oNdeStãoAScartasdomEUaVôp/AminH'Avó?oNdeStãoAScartasdomEUaVôp/AminH'Avó?oNdeStãoAScartasdomEUaVôp/AminH'Avó?oNdeStãoAScartasdomEUaVôp/AminH'Avó?oNdeStãoAScartasdomEUaVôp/AminH'Avó?oNdeStãoAScartasdomEUaVôp/AminH'Avó?oNdeStãoAScartasdomEUaVôp/AminH'Avó?oNdeStãoAScartasdomEUaVôp/AminH'Avó?oNdeStãoAScartasdomEUaVôp/AminH'Avó?oNdeStãoAScartasdomEUaVôp/AminH'Avó?oNdeStãoAScartasdomEUaVôp/AminH'Avó?oNdeStãoAScartasdomEUaVôp/AminH'Avó?oNdeStãoAScartasdomEUaVôp/AminH'Avó?oNdeStãoAScartasdomEUaVôp/AminH'Avó?oNdeStãoAScartasdomEUaVôp/AminH'Avó?oNdeStãoAScartasdomEUaVôp/AminH'Avó?oNdeStãoAScartasdomEUaVôp/AminH'Avó?oNdeStãoAScartasdomEUaVôp/AminH'Avó?oNdeStãoAScartasdomEUaVôp/AminH'Avó?oNdeStãoAScartasdomEUaVôp/AminH'Avó?oNdeStãoAScartasdomEUaVôp/AminH'Avó?oNdeStãoAScartasdomEUaVôp/AminH'Avó?oNdeStãoAScartasdomEUaVôp/AminH'Avó?oNdeStãoAScartasdomEUaVôp/AminH'Avó?oNdeStãoAScartasdomEUaVôp/AminH'Avó?
 
 Roberta Aymar

 

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

...Abertos em sorrisos de espuma onde as velas fogem...

 
A Garrett McNamara...
Que doma nos pés sorrisos de espuma.
 Ao poeta Manuel Bandeira que tanto me inspira.
Ao Filósofo Gaston Bachelard.
E a todos que como eu são do Ar e do Mar.

...Abertos em sorrisos de espuma
onde as velas fogem
como garças longínquas no ar...
*Manuel Bandeira*












...Abertos em sorrisos de espuma onde as velas fogem...
 











segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Mea Culpa...





"Sem Culpa
O que é um homem?
Um animal, não é mesmo?
Um lobo perdoado em sua carne,
Uma abelha inocente em sua copulação.”
A. M.
 

domingo, 6 de novembro de 2011

Aliança... Herança Atávica!


{()*()}







{()*()}
 
À aliança dos meus avós.
À Auxiliadora,
Q' jaz sobre o corpo do seu amado Jose...
A Jose Aymar y Ruiz, 
em 2011, no ano do seu centenário.
A Roberto Aymar, fruto desse amor...













 *À Família Aymar*




sexta-feira, 4 de novembro de 2011

"Sobes de um abismo negro ou despencas de um astro?"


...em trânsito 
como deve ser 
a agonia do verbo amar...









"...meu coração vagabundo 
quer guardar o mundo em mim..."