UNS VÃO À PRAIA. EU VOU AO MAR. PORQUE SOU DO MAR... O MAR, AOS QUE SÃO DO MAR: ODOYÁ! ODOYÁ!
Aquários de tubarões não inundam os meus pés. Só quero o vômito da minha própria vazante. Porque, sou Roberta Aymar...
TECIDO VIVO!

domingo, 5 de setembro de 2010

MEDITAÇÃO XVII - JOHN DONNE



Meditação XVII - John Donne
(trecho)

Nenhum homem é uma ilha, completa em si mesma; todo homem é um pedaço do continente, uma parte da terra firme. Se um torrão de terra for levado pelo mar, a Europa fica menor, como se tivesse perdido um promontório, ou perdido o solar de um teu amigo, ou o teu próprio. A morte de qualquer homem diminui a mim, porque na humanidade me encontro envolvido; por isso, nunca mandes indagar por quem os sinos dobram; eles dobram por ti.


Meditation XVII
- John Donne
No man is an island, entire of itself; every man is a piece of the continent, a part of the main; if a clod be washed away by the sea, Europe is the less, as well as if a promontory were, as well as if a manor of thy friend's or of thine own were; any man's death diminishes me, because I am involved in mankind, and therefore never send to know for whom the bell tolls; it tolls for thee. 



Criança Sudanesa 
Imagem capturada pelas lentes do fotógrafo Kevin Carter (1960-1994)




2 comentários:

  1. DELICIA DE VER E SENTIR , PARABENS

    ResponderExcluir
  2. Delícia é saber que não estou absolutamente só nessa "Meditação".
    A presença do Outro (a tua presença) aumenta a minha, posto que partilhas, talvez, a mesma solidão, a mesma imensidão de SER e ESTAR no mundo.

    Roberta Aymar.

    A tí, anônimo(a), o acolhimento do TECIDO VIVO!

    ResponderExcluir