UNS VÃO À PRAIA. EU VOU AO MAR. PORQUE SOU DO MAR... O MAR, AOS QUE SÃO DO MAR: ODOYÁ! ODOYÁ!
Aquários de tubarões não inundam os meus pés. Só quero o vômito da minha própria vazante. Porque, sou Roberta Aymar...
TECIDO VIVO!

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Tecidos Vivos: Expansão!

A cada três dias, novas espécies surgem na Amazônia



Fonte: http://br.noticias.yahoo.com/s/afp/101026/mundo/onu_meio_ambiente_biodiversidade_amaz__nia

domingo, 24 de outubro de 2010

"Nuovo Cinema Paradiso" - Cena Final (Beijos)

O Beijo (Tradução)



O Beijo (Despedida)





"Beijo Póstumo "


Stecchetti
(Olindo Guerrini )
( 1845-1916 )
 


                                     Tradução de Baptista Cepelos

Eu morrerei: a grande noite austera
vem chegando com o tempo que não para;
já a cova negra minha carne espera
e, abrifauce e faminta, se prepara...

Quando tudo renasce à primavera,
eu só não tornarei da terra ávara;
e, do meu corpo, que não chão se altera,
brotará a mangerona, humilde e rara.

Em nome deste amor, vai lá, querida,
e sobre a tumba compassiva e pura,
colhe uma planta de meu ser nutrida.

Beija-a, porque aos teus beijos de ternura,
logo os meus ossos, como outrora em vida,
palpitarão de amor na sepultura!




Com o título “ Eterno Amor ” há outra
tradução deste soneto feita por Othon Costa

in
 J G de Araujo Jorge,
"Os Mais Belos Sonetos Que O Amor Inspirou"
Poesia Universal - Européia e Americana  -
Vol. III  - 1a edição 1966

Fonte: http://www.jgaraujo.com.br/belosonetos3/042_stechetti_beijo_postumo.htm


 

O Beijo (Fotografias Emblemáticas)





A fotografia do beijo entre o casal de desconhecidos (marinheiro e enfermeira) entrou para história como um dos símbolos do reencontro entre casais no final da segunda guerra. Foto de Alfred Eisenstaedt, 1945.



O Beijo (Cinema)

O Beijo  -  Deborah Kerr e Burt Lancaster 
(Filme "A um passo da eternidade, 1953)

O Beijo (O Primeiro do Cinema)

O Beijo  -  May Irwin e John C. Rice (Primeiro beijo do cinema, 1896)

O Beijo (Pinturas)



O Beijo  - 




O Beijo  -  Tolousse Lautrec




O Beijo  -  Gustave Klimt





O Beijo  - Pablo Picasso






Os Amantes Azuis  -  Marc Chagal



O Beijo - Souza Campos

O Beijo (Esculturas)



 Psiche rianimata dal bacio di amore - Antonio Canova (1793)



O Beijo  - Auguste Rodin


O Beijo  -  Rubens Gerchman, 1980, Ferro polido, 50cm x 50cm x 2cm



O Beijo - Interdição I















O Beijo (Mangás)



O Beijo...


O Beijo (à mão livre)





O Beijo... "Duplo"


O Beijo... "Erostic"





O Primeiro Beijo













O Beijo: Substantivo! Masculino, Feminino... Comum de Dois!






O Beijo 
 (TrabisDeMentia)


O cabelo que descai e expulsa o gesto
E a lingua que humedece, eu não mereço
Estar de ti, da tua boca, perto assim

Aos meus olhos só teus olhos, pois o resto

Se mingua, desaparece, até me esqueço
Que teus olhos não estão mais a olhar para mim

Ia jurar que não fui eu quem deu um passo
Quem pegou na tua mão, quem num compasso
Declarou o seu amor, te fez sorrir

Ia jurar não fosse eu estar apavorado
Pelos lábios que se cruzam lado a lado
Pelo beijo que se torna a repetir



O Beijo de  Jude Law  e Norah Jones em "Um Beijo Roubado", 2007.




Albert Pinkham - Ryder Boat in Moonlight



"...with her father is out in the boat
riding the water
riding the waves on the sea
...
"



Albert Pinkham  - Ryder Boat in Moonlight


sábado, 23 de outubro de 2010

"Confessing all the secret things in the warm velvet box..." (Mercy Street - Peter Gabriel)


Mercy Street

(By Peter Gabriel)

Looking down on empty streets, all she can see
are the dreams all made solid
are the dreams all made real


all of the buildings, all of those cars
were once just a dream
in somebody's head


she pictures the broken glass, she pictures the steam
she pictures a soul
with no leak at the seam


let’s take the boat out
wait until darkness
let's take the boat out
wait until darkness comes


nowhere in the corridors of pale green and grey
nowhere in the suburbs
in the cold light of day


there in the midst of it so alive and alone
words support like bone


dreaming of mercy street
wear your inside out
dreaming of mercy
in your daddy's arms again
dreaming of mercy street
swear they moved that sign
dreaming of mercy
in your daddy's arms


pulling out the papers from the drawers that slide smooth
tugging at the darkness, word upon word


confessing all the secret things in the warm velvet box
to the priest-he's the doctor
he can handle the shocks


dreaming of the tenderness-the tremble in the hips
of kissing Mary's lips


dreaming of mercy street
wear your insides out
dreaming of mercy
in your daddy's arms again
dreaming of mercy street
swear they moved that sign
looking for mercy
in your daddy's arms


mercy, mercy, looking for mercy
mercy, mercy, looking for mercy


Anne, with her father is out in the boat
riding the water
riding the waves on the sea